11 de abril de 2013

Por Uma Vida Mais Intensa...

Com o fim de satisfazer desejos imediatos, muitos de nós deixamos de viver, no sentido mais real da palavra, e passamos a existir em função das coisas, das pessoas, do emprego, dos estudos etc.
Não que essas coisas não sejam importantes, mas elas não podem estar acima da própria vida. Não podem ser elas o alvo supremo, a razão maior, a 'causa pétrea' como diriam os juristas, da nossa existência.
Cogito ergo sum” 'Penso. Logo existo' já dizia Descartes, AMO! Logo Vivo, reitero eu. Viver vai muito além de existir, muito além de pensar. A Vida está no pulsar do coração, e este, pulsa com muito mais vigor quando está impregnado de amor.
Penso que a vida é um mistério, e muitos a estudam exaustivamente, alguns a compreendem de forma geral, poucos conhecem de fato mas apenas os que VIVEM conhecem realmente esse mistério.
Uma das essências da vida é, sem Dúvida, o amor. Sem ele a vida se torna insipidamente amarga. Amargura comanda o coração que insiste em pulsar sem o Amor. Daí vemos tanta maldade, desventura e miséria no mundo. Homens e mulheres sem amor, que existem por ai, e pensam que estão vivos porém mal sobrevivem a esse caos que é o mundo.
Carpe Diem” é a expressão mais usada, e muitas vezes erroneamente, para incentivar a pessoa a “aproveitar ao Máximo” o tempo, a vida, o dia... Essa expressão, na verdade está nos alertando a “Não desperdiçarmos nossa vida com aquilo que não é vida”. É um convite a sairmos da mera existência e mergulharmos na VIDA em sua mais ampla plenitude.
Acrescentar ao sabor, às vezes azedo, outras vezes amargo, outras vezes completamente insípido o ingrediente chamado AMOR fará uma diferença enorme em nossas vidas. Não apenas na relação amorosa como em qualquer outra empreitada da existência humana. Há de se ter 'poesia' em tudo que se faz nessa vida. Há de se encontrar encantamentos nas ações mais corriqueiras do dia-a-dia. Pode-se adocicar a situação mais desprovida de doçura. Há de se acalentar as piores dores...
Não falo do sentimento medíocre e possessivo. Das esbravejações de ciumes e descabelamentos depressivos. Falo do sentimento forte e sereno, que não se abala diante das turbulências da vida e se mantém firme no objetivo de ser ao outro útil, agradável, amável, aceitável, compreensivo...
Amar assim, sem explicações lógicas ou com elas. Sem ligar para os defeitos, ou ajudando a corrigi-los pelo amor. Sem exigir nada em troca, mas tendo a certeza que o Amor sempre retorna em alguma forma de recompensa, recíproca da Vida...
Enfim AMAR intensamente, e VIVER intensamente AMANDO...



Nenhum comentário:

Postar um comentário